Hospital chama esquadrão antibombas para homem com projétil “introduzido” no ânus

Bala de canhão estava em paciente que coleciona itens militares O Hospital Real de Gloucestershire, na Inglaterra, recebeu um caso um tanto quanto inusitado: um homem procurou o pronto-socorro com um projétil de canhão introduzido no ânus. Com medo de que o objeto pudesse explodir, a equipe médica acionou o esquadrão antibomba. De acordo com o tabloide The Sun, o inglês, que não foi identificado, disse que o objeto de 17 centímetros, alojado no reto, foi fruto de um acidente — ele teria escorregado e caído na ogiva, que faz parte de sua coleção. As informações foram confirmadas pelo Ministério da

APÓS 50 ANOS: Com narrações históricas do trespontano Caixa, Galo é Bicampeão Brasileiro

“Hoje tem festa na terra, mas também tem festa do céu!”, disse o narrador da Itatiaia visivelmente emocionado. Que a conquista do bicampeonato brasileiro do Atlético Mineiro foi merecida e segue sendo muito comemorada, ninguém tem dúvida. Assim como também todos sabem que o trespontano Mário Henrique Silva, o Caixa, é a voz oficial do “Galão da Massa”, da torcida atleticana, um legítimo representante que externa seu talento de anos de profissão e que transforma cada batimento do seu coração alvinegro numa sinergia, um misto de energia e paixão que impulsionam o impossível ao palpável, o sonho ao real. E

BOA NOTÍCIA: Famílias de baixa renda terão redução automática na conta de luz

Mais de 11,5 milhões de famílias podem passar a receber o benefício Famílias de baixa renda inscritas em programas sociais do governo passarão a ser incluídas, automaticamente, como beneficiárias da Tarifa Social de Energia Elétrica. Com isso, mais de 11,5 milhões de famílias podem passar a receber o benefício, com descontos de até 65% na fatura mensal da conta de luz, somando-se aos 12,3 milhões de famílias de baixa renda que já usufruem da redução. O protocolo que permite o cadastramento automático dessas famílias foi assinado nesta terça-feira (30), na sede da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em Brasília, com

UNIÃO ESTÁVEL: confira o que você precisa saber! – Dr. Gabriel Ferreira

Veja as respostas para as 5 principais dúvidas sobre a união estável. 1) O que é a União Estável? Sem dúvidas, o primeiro passo é entender o que é a união estável. A resposta básica explica que a união estável é o relacionamento afetivo longo, público, contínuo e com base familiar. A união nasce como um fato e gera consequências que devem ser observadas pelos envolvidos. Como essa definição técnica pode trazer muitas dúvidas, vamos analisar cada requisito: Publicidade A exigência de o relacionamento ser público não se trata de uma exposição ampla da vida do casal. Na verdade, o

Covid-19: O que se sabe até agora da variante Ômicron?

Cientistas correm para decifrar genoma de vírus com 50 mutações O surgimento de uma variante no novo coronavírus confirmado em regiões da África preocupa especialistas internacionais de saúde. Batizada de Ômicron – letra grega correspondente à letra “o” do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas. Onde a variante foi identificada? Além de países vizinhos a Botsuana – África do Sul, Lesoto,

Anvisa: dois casos da variante Ômicron são identificados no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na tarde desta terça-feira (30) que serão enviadas para análise laboratorial as amostras de dois brasileiros que, em análise preliminar, apresentaram resultado positivo para a variante Ômicron do novo coronavírus. A testagem foi realizada pelo laboratório Albert Einstein. O caso positivo investigado é de um passageiro vindo da África do Sul e que desembarcou no aeroporto internacional em Guarulhos, São Paulo, no dia 23. O passageiro portava  resultado de RT-PCR negativo e ia voltar para o país africano no dia 25 e ia fazer novo teste, acompanhado de sua mulher, para poder

Sobe para 47 número de cidades que já cancelaram festas de réveillon e carnaval de 2022 no Sul de Minas

Municípios da microrregião de Campo Belo e outras nove cidades comunicaram o cancelamento das festas nos últimos dois dias Subiu para 47 o número de cidades que já decidiram pelo cancelamento das festas de réveillon e do carnaval de 2022 no Sul de Minas. Nesta terça-feira (30), os municípios integrantes da microrregião de Campo Belo (MG) conjuntamente com as cidades de Perdões, Santo Antônio do Amparo, Bom Sucesso, Nepomuceno e Boa Esperança, decidiram não promover festividades públicas nas duas datas. As cidades que integram a microrregião de Campo Belo são: Cana Verde, Santana do Jacaré, Candeias, Camacho, Aguanil, Campo Belo

Programe-se: Veja datas e feriados de Dezembro de 2021

Nem parece, mas já estamos no último mês de 2021. Dezembro, mês do Natal (no dia 25) e das festas de fim de ano, traz consigo, além da chegada do verão no Hemisfério Sul (no dia 21 de dezembro, às 12h59), uma série de datas de celebrações que visam homenagear e conscientizar a população. Já no dia 2, são celebrados o Dia Nacional do Samba e do Dia Nacional da Astronomia. No dia 10, a celebração é ao Dia do Palhaço. O mês conta ainda com homenagens ao forró (o Dia Nacional do Forró é no dia 13), aos arquitetos e

DURANTE OPERAÇÃO, PM APREENDE MENOR E DROGAS EM TRÊS PONTAS

Durante operação natalina, a Polícia Militar se deslocou nesse sábado (28/11), às 18h, até o bairro Vila Marilena em Três Pontas/MG, onde foi avistado o menor de 17 anos, já conhecido no meio policial por tráfico de drogas. Ele foi abordado e consigo foi localizada a quantia R$ 40,00 e escondido no telhado de uma casa da Rua Maria Caetana, cerca de 1 metro de distância do abordado, foram localizadas 16 pedras de crack, prontas para a venda. ___________________________continua depois da publicidade____________________________ O menor infrator assumiu ser o dono das drogas, sendo então apreendido e em sua casa, depois de

Cocatrel inova nos sabores e lança café Reserva Cereja Descascado

A Cocatrel louçou mais uma opção para quem ama os diversos sabores do café. O Cocatrel Reserva Cereja Descascado é um café gourmet 100% arábica produzido com grãos do Sul de Minas, e traz para a xícara o sabor de uma bebida mais suave, de finalização longa, acidez cítrica e corpo aveludado. O café Cocatrel Reserva Cereja Descascado foi apresentado durante a Semana Internacional do Café (SIC), que ocorreu entre os dias 10 e 12 de novembro, em Belo Horizonte, e seu lançamento oficial acontece hoje, 16 de novembro, nas cafeterias Cocatrel de Três Pontas, Nepomuceno e Carmo da Cachoeira. ___________________________continua

INAUGURAÇÃO: Kapeh reúne paixão nacional a cuidados com o corpo em nova loja conceito em Três Pontas

Produtos de beleza à base de café e blends exclusivos proporcionam experiência única aos amantes do grão Com a experiência de seis gerações de sua família voltadas ao negócio cafeeiro, a premiada farmacêutica e bioquímica Vanessa Vilela inaugura, em Três Pontas (MG), um espaço voltado à apreciação do café e exposição dos produtos de beleza à base do grão, desenvolvidos pela Kapeh (www.kapeh.com.br). A nova loja conceito da marca – pioneira e reconhecida no ramo – une os cuidados com o corpo à paixão nacional com o intuito de os clientes desfrutarem uma experiência sinestésica, além de terem também a

BOA NOTÍCIA: Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,8 anos

Aumento da expectativa de vida não considera efeitos da covid-19 O aumento da expectativa de vida ao nascer no país em 2020 era de 76,8 anos, uma alta de 2 meses e 26 dias em relação ao ano anterior (76,6 anos). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no entanto, a idade foi estimada caso o país não tivesse passado pela pandemia de covid-19. Portanto, o IBGE não considera a crise de mortalidade provocada pela doença naquele ano. De acordo com o IBGE, sem considerar os efeitos da covid-19, a expectativa de vida para os homens era de

PALÁCIO DAS ARTES RECEBE O ESPETÁCULO “DE COISAS QUE APRENDI COM ELIS”, COM A CANTORA ISABELA MORAIS, DIA 24 DE AGOSTO (SÁBADO).

Produção reverencia carreira da Pimentinha com grande qualidade musical e roteiro afetivo na voz e performance da cantora mineira; com apresentação única, espetáculo retorna à capital mineira depois de temporada de sucesso no Rio de Janeiro.

O Grande Teatro do Palácio das Artes recebe, no dia 24 de agosto (sábado), apresentação única do espetáculo “De Coisas que Aprendi com Elis”. No show, a cantora Isabela Morais revisita o cancioneiro consagrado por Elis Regina a partir de um roteiro íntimo e arrebatador que joga luz sobre o legado da maior intérprete da música popular brasileira. A produção mineira de Três Pontas, celeiro de artistas, traz instrumentistas de destaque na cena musical contemporânea da região: Bruno Vieira (bateria), Clayton Prósperi (piano e arranjos), Dedê Bonitto (baixo) e Ismael Tiso (guitarra). Os ingressos antecipados custam R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia-entrada), à venda na bilheteria do teatro e pelo site Ingresso Rápido.

Um recorte afetivo cuidadosamente construído artisticamente convida o público a repassar o repertório eternizado pela Pimentinha a partir de clássicos como “Águas de Março”, “Como Nossos Pais” e “Romaria” – e igualmente um mergulho no lado B, com músicas como “Rancho da Goiabada”, “Cobra Criada” e “Onze Tiros”. O espetáculo, que esteve em Belo Horizonte com casa lotada em 2018, retorna à capital mineira após temporada de sucesso no Rio de Janeiro, marcada pelo impacto musical da banda e pela performance arrebatadora da cantora mineira, além de apuro visual de luz, figurino e cenário (inspirado no álbum “Elis, essa mulher”).

“De um ano pra cá, o roteiro amadureceu muito ao longo dos shows. Algo que o público poderá notar”, conta Isabela Morais. Assim, o espetáculo traz uma narrativa que permeia as canções, amarradas por memórias afetivas que se mesclam com o legado de Elis e com a própria história da cantora gaúcha, suas posições e o contexto histórico de sua obra. “O roteiro consegue trazer a obra de Elis pro agora no exercício de rememorá-la. Ao contar a história da Elis no palco, contamos a história do Brasil e o que ainda dele ressoa em nós.”

“De coisas que aprendi com Elis” transita entre diferentes fases de uma das maiores intérpretes do mundo, homenageando um cancioneiro que parece sempre dialogar com realidade social do país – desfilam no repertório temas de Tom Jobim, Chico Buarque, Ary Barroso, Vinícius e Baden, João Bosco, Ivan Lins, Rita Lee, Belchior, dentre outros. À frente da desafiadora tarefa está Isabela Morais, 31 anos, cantora de interpretação autêntica, técnica e expressiva, com trajetória em projetos da MPB (a exemplo da turnê do disco “E a gente sonhando”, com Milton Nascimento) ao rock (como o Ummagumma The Brazilian Pink Floyd, tributo que arrasta multidões há mais de 15 anos). Cantar Elis torna-se assim uma retribuição por um aprendizado de referências de palco e de vida.

Aprender com Elis e encontros

“De Coisas que Aprendi com Elis” não se propõe a simular a figura da cantora, mas emerge no palco um aprendizado sincero, ora íntimo, ora catártico. Por fim, o talento de Isabela Morais traz naturalmente Elis ao palco, em sua força que atravessa tempos e segue emocionando públicos de diferentes gerações. Do desejo de ser estrela do rádio aos festivais, do samba e bolero à bossa nova, de um olhar moderno sobre o passado à descoberta de jovens talentos nos anos 60 e 70. Sempre inquieta, Elis é o próprio espelho da MPB em sua inventividade, busca de novas linguagens e diálogo com a vida social brasileira. E é isso que emerge do espetáculo a partir de um roteiro no qual Isabela Morais – nascida seis anos após Elis falecer – costura tempos e afetos.

Da emoção de “Atrás da Porta” ao suingue de “Aprendendo a Jogar”, o espetáculo deixa clara a importância dos encontros na trajetória de Elis. E dois deles têm destaque: com o maestro Tom Jobim, através de clássicos como “Chovendo na Roseira” e “Águas de Março”, e com Milton Nascimento, numa irmandade que se concretizou no mergulho da cantora gaúcha pela riqueza musical das Minas e do Clube da Esquina, em temas como “Caxangá” e “Vento de Maio” – no show, essa passagem afetuosa ainda é brindada com um medley de temas mineiros pelo quarteto instrumental.

Música contra o esquecimento

O repertório de Elis parece sempre olhar para um país em dívida consigo mesmo. Tendo sua carreira cravada exatamente no período de exceção que se estende de 1964 (quando chega ao Rio) ao início da abertura política do início dos anos 80, a artista cantou um país que muitas vezes teima em esquecer sua história e virar as costas para seu povo. Temas como “Mestre Sala dos Mares” e “Onze Tiros” são emblemáticas por trazerem à tona lutas e histórias que não podemos esquecer jamais, assim como não naturalizar os tiros que seguem ressoando..

Para Isabela, repassar em show esse legado de Elis é um constante aprendizado. “Eu estou em processo de gravação do meu primeiro disco, enquanto esse show ganha os palcos. E a experiência é riquíssima, porque cantar Elis é pensar sobre suas escolhas estéticas. O que contemplar de cada compositor é um processo de aprendizado importantíssimo”, conta. “Construir um repertório nos dias de hoje é demonstrar a capacidade de Elis de há mais de 30 anos entoar canções que são capazes de nos ajudar a pensar e sentir o Brasil de agora. – uma coisa que é ao mesmo tempo vigorosa e num constante tensionamento, visto que Elis construiu toda a sua carreira durante um estado de exceção”, avalia. Temas como “O Bêbado e a Equilibrista”, por outro lado, mostram que vale a pena apostar na esperança.

Ficha Técnica:

Isabela Morais – intérprete, argumento e direção musical

Clayton Prósperi – piano, arranjos

Dedê Bonitto – contrabaixo, arranjos

Bruno Vieira – bateria

Ismael Tiso – guitarra

Realização: Verdes Eventos

Produção: Maria Isabel Silva

Assistente de Produção e Mídias: Mayara Carvalho

Técnico de Monitor e PA: Mazinho Nogueira

Roadie (assistente de palco): Marco Véio

Cenografia: Espaço Ficção

Iluminação: Desenho Cênico

Assessoria de Imprensa: João Marcos Veiga

Sobre os músicos

Isabela Morais é cantora, compositora, produtora cultural, atuando desde cedo na carreira artística. Idealizadora, vocalista e instrumentista na banda Marginália. Backing vocal da Ummagumma The Brazilian Pink Floyd há 16 anos. Participou da gravação do álbum e da turnê do projeto “E a gente sonhando” (2010-2011) de Milton Nascimento. Ao lado do Trio Ogã (SP), se apresentou em importantes casas e instituições, como o MIS SP, com tributos a Vinicius de Moraes e Ary Barroso. Atualmente grava seu primeiro álbum solo, “Do Absurdo”.

Bruno Vieira é baterista, percussionista e professor. Já acompanhou diversos músicos e trabalhos nos mais importantes festivais do país. Integra o Grupo de Choro Brasileirinhos (Varginha-MG) e é diretor da empresa Segue o Som Produção Musical.

Clayton Prósperi é compositor, músico, professor de piano, arranjador, intérprete e cantautor. Formado em piano erudito na UFMG, tocou e cantou ao lado de grandes nomes como Milton Nascimento, Toninho Horta, Fredera e Lenine. Sua composição autoral “Eu Pescador”, em parceria com Haroldo Jr., foi gravada por Milton Nascimento e Wagner Tiso no álbum “E a Gente Sonhando”. Atualmente é integrante do grupo sul mineiro Compasso Lunnar com obras autorais e grava seu primeiro álbum solo.

Dedê Bonitto é músico mineiro, professor, contrabaixista, produtor e diretor musical, atuando em projetos e gravações diversas no Sul de Minas, Salvador, São Paulo e já tendo tocado com grandes nomes da música brasileira, entre eles Wagner Tiso. É integrante do Quartetto Sentinela.

Ismael Tiso Jr. é compositor e multi-instrumentista natural de cidade de Três Pontas (MG). Em 2004 gravou no DVD Pietá de Milton Nascimento a faixa bônus “Paciência”, com a participação do compositor Lenine. Iniciavam-se então trabalhos com gravações e shows por todo Brasil acompanhando Milton, jornada que teve como seu ponto mais alto a gravação de uma das canções do jovem compositor (“do samba, do jazz, do menino e do bueiro”) no álbum “…e a gente sonhando”, lançado em 2010 pelo ilustre conterrâneo e padrinho musical. Em 2016 Ismael marca sua estreia como compositor lançando o primeiro disco solo, “Ventos do Sul,”. Desde 2016 integra o grupo Compasso Lunnar e atualmente grava seu segundo álbum.

Serviço

“De coisas que aprendi com Elis” – c/ Isabela Morais – Palácio das Artes – BH (MG)

Quando: 24 de agosto (sábado), às 21h

Onde: Grande Teatro do Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro – BH)

Quanto: 1° lote: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia) | 2° lote: R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia)

Vendas: Bilheteria do Teatro (segunda à sábado, 10h às 21h, domingo de 17h às 20h)

Vendas online: https://www.ingressorapido.com.br

Duração: 1h50

Classificação: livre

Redes sociais: Facebook: fb/decoisasqueaprendicomElis/

Instagram: @aprendicomelis

Informações: (31) 3236-7400 (bilheteria). (35) 99971-5998 (produção)

 

Fonte: João Marcos Veiga (31) 9.8788.4534 | [email protected]

 

Curta a página do Conexão Três Pontas no facebook

www.facebook.com/conexaotrespontas

12729255_119502638436882_132470154276352212_n

Roger Campos

Jornalista

MTB 09816

#doadorsemfronteiras

Seja Doador de Médicos sem Fronteiras

0800 941 0808

OFERECIMENTO

Sobre o autor

Reply

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm